3 coisas importantes que aprendi lendo “Grande Magia”

3 coisas importantes que aprendi lendo “Grande Magia”

3 coisas importantes que aprendi lendo "Grande Magia"
3 coisas importantes que aprendi lendo “Grande Magia”

Vou começar dizendo que as 3 coisas importantes que aprendi lendo Grande Magia: Vida Criativa sem Medo com muita certeza vão ser úteis para você.

Esse livro não só é um guia sobre como viver de forma criativa, mas um instrumento de transformação que deve ser relido em várias fases da vida, talvez de três em três meses, eu diria. Cada vez que leio, obtenho uma perspectiva nova sobre o assunto e presto atenção ao que ainda tinha passado despercebido.

A maravilhosa escritora Elizabeth Gilbert – autora de Comer, rezar, amar e outros bons livros – compartilha sua visão sobre o que é levar uma vida criativa sem medo. Para ela:

“(…) uma vida criativa é uma vida mais ampla. É uma vida maior, mais feliz e muito, muito mais interessante. Viver dessa maneira – contínua e obstinadamente trazendo à tona as joias escondidas dentro de você – é uma arte em si”.

Hoje não venho lhe trazer uma resenha literária, mas sim 3 importantes coisas que aprendi ao ler esse que, com certeza, é meu livro referência e preferido de não ficção. Espero que isso seja motivo suficiente para você ficar com aquela pontinha de curiosidade para ler Grande Magia também.

Vamos lá?

3 coisas importantes que aprendi lendo “Grande Magia”

A seguir você acompanha 3 coisas importantes que aprendi lendo esse livro incrível:

Primeira coisa: O medo sempre vai estar presente em nossa vida, precisamos apenas aprender a lidar com ele

Quem deseja viver uma vida com significado, precisa entender que o medo sempre estará dividindo o banco do carro com você. Ele está lá pois sempre que somos inventivos ou inovadores, é ligado um alerta de que isso pode dar muito, muito errado mesmo. E pode.

Por isso, seja corajoso, mas nunca destemido, como sugere Gilbert. Tenha medo, mas vá. Mas vá com cuidado. Pessoas destemidas apenas iriam, sem pensar nas consequências.

Na vida real, isso pode significar resultados desastrosos. Divida o carro com o medo, mas diga a ele que quem comanda é você, e quem anda ao seu lado, na frente, é a criatividade, que te ajuda a ler o mapa da estrada e a sintonizar as rádios que mais têm a ver com você. O medo? Ele que fique no banco de trás, bem quietinho. E boa viagem!

Segunda coisa: As ideias têm vida própria, então não as deixe escapar

A autora diz, sobre como funcionam as ideias:

“Acredito que nosso planeta é habitado não apenas por animais, plantas, bactérias e vírus, mas também por ideias. Estas são uma forma de vida energética, incorpórea. São completamente separadas de nós, mas capazes de interagir conosco – ainda que de um modo estranho. As ideias não têm um corpo material, mas têm consciência e, certamente, têm vontade própria. São movidas por um só impulso: o de se manifestar. E a única maneira pela qual uma ideia pode se manifestar em nosso mundo é por meio da colaboração com um parceiro humano. Ela só pode ser escoltada do nível do etéreo para o reino da realidade através dos esforços de um humano”.

Basicamente, eu entendi, as ideias são seres energéticos que estão sempre em busca de receptores para se manifestar no mundo físico, no mundo humano. O que acontece é que quando uma ideia encontra alguém que tenha esse potencial de fazê-la acontecer, ela tenta chamar-lhe a atenção.

Muitas vezes, porém, estamos tão ocupados com tudo, que não damos bola e ela então, depois de um tempo, parte em busca de uma nova possível parceria.

Por isso, se uma boa ideia lhe apareceu – e você acha que tem potencial de fazê-la acontecer – não a deixe escapar! Se ela te escolheu, é porque você lhe parece especial, inteligente e capaz. Mas, se essa não for a ideia que você quer abraçar, tudo bem. Deixe-a ir e abra-se para novas.

Terceira coisa: Não só os artistas, mas todas as pessoas são criativas

Todas as pessoas são criativas. Quando você resolve inovar em uma receita cozinhando, você está sendo criativo. Quando seu colega de trabalho propõe uma nova forma de organizar os arquivos do escritório, ele está sendo criativo.

Viver de forma criativa vai além de saber escrever bons textos, desenhar, cantar ou representar. É buscar todos os dias uma nova forma de olhar para as experiências da vida. É reconfigurar caminhos. É escolher.

A criatividade é capaz de nos salvar de situações perigosas, da escassez, da dor. É um dispositivo muito inteligente que mora dentro de cada um de nós.

“Está pensando em se tornar uma pessoa criativa? Tarde demais: você já é uma pessoa criativa. Aliás, dizer que uma pessoa é criativa é de uma redundância quase cômica; a criatividade é a marca da nossa espécie. Temos os sentidos necessários à criação; a curiosidade necessária; os polegares opositores necessários; temos o ritmo necessário; temos a linguagem, o entusiasmo e a conexão inata com a divindade necessários”.

Grande Magia: aprendendo a viver criativamente sem medo

Eu espero do fundo do meu coraçãozinho que esse texto tenha lhe trazido um despertar para essa grande magia que é a criatividade, combustível que jamais pode nos faltar, em qualquer situação, fase ou posição de vida. E, se você ler esse livro incrível, me conta o que achou. Vou adorar trocar figurinhas com você.

Até mais!

Gostou do texto? Então vou sugerir essa leitura: E se o primeiro passo para começar for não começar tão depressa?

_________________________________________________________________________

Participe do Clubinho de E-mail do blog!